Depalperada Magnífica Opulência

Não precisava passar por isso. Parece que de mãos e pés atados. Lânguido, frouxo. Ouvindo um canto rouco e triste. Sem voz, com um ar de extremo. Andando pelas vielas, debilitado, voluptuoso, mole e extenuado. Parece um esgoto. Não adiantava nem não pensar, porquê vinha o pensamento. Maldito cérebro humano que só faz pensar. E acabava pensando que devia ler menos. Talvez assim conhecesse menos palavras. Talvez assim pensasse menos. Ou não pensasse. Era tudo que queria, mas não dava. O cérebro humano não deixava. Como assim parar de pensar? Não precisava passar por isso, só precisava de um tempo...

2 comentários:

Tio Lói disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PICANÇO, Marco. disse...

Querer parar de pensar nessas horas é a nossa pior "solução". O ideal é que pensemos em algo que nos faça bem. Focar o pensamento em coisas boas. Sempre existe algo bom nos arquivos das doces lembranças.

Um beijo e um abraço bem apertado ;*

Ps: Tô escutando Indian Summer. Linda, não é? =]