Frutas, emblemas e livros

Photo: Gloria Goulart

 Há algum tempo já não dorme em paz
e não consegue parar de pensar
se alimentando de intelectuais
considerando nunca mais parar
Fazia tudo mas não via fim
andando errante entre dois extremos
mas lhe foi dito pra crescer assim
e abrir mão do seu curso de remo
É divertido, mas não quer mais
tantas mudanças que o conhecer faz
tudo o que sabe não deixa pra trás
mesmo presente o que era se desfez
Não é difícil de compreender
porque se deixa esquecer viver
olhando em volta, a realidade
e esquecendo o mundo de verdade
Talvez a confusão seja só minha
que não percebo às vezes como ser
um ser humano social contente
de a este mundo louco pertencer
É um pertencimento que procede
existe em cada respiro de ar
se este respiro humano é tão humano
Porque é este um mundo tão difícil de amar?
Se não aguenta mais porque não muda?
Porque não põe a voz no mundo e canta?
Junta tua voz às outras, roucas, sujas
E pede agora um mundo de mudança

Nenhum comentário: